• Autor Patrícia Carvalho
  • Ilustrador
  • Coleção História
  • ISBN 9789898086730
  • PVP 16,99 € (IVA incluído)
  • preço livre
  • 1ª Edição setembro de 2015
  • Edição atual
  • Páginas 264
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 150 x 230 x 17,5 mm
  • Idade

Toda a verdade sobre os portugueses deportados para os campos de concentração nazis.

Portugal adotou uma posição neutral durante a Segunda Guerra Mundial, mas isso não significa que os seus cidadãos se tenham mantido à margem do conflito que devastou a Europa pela segunda vez no mesmo século, depois da guerra de 1914-1918. Ao mesmo tempo que, no território nacional, se desenvolviam as contradições de uma política espartilhada entre alguma simpatia por Adolf Hitler e a antiga amizade com Inglaterra, com Salazar a fazer tudo para manter o país fora do conflito, os portugueses que tinham emigrado para França sentiam na pele os efeitos da ocupação, dos bombardeamentos e das prisões.

Enquanto Lisboa era solo fértil para os espiões, e os refugiados que conseguiam ultrapassar os entraves da política salazarista aguardavam por um barco que os levaria para outros destinos, havia portugueses a juntarem-se à Resistência ou a serem apanhados em buscas a aldeias francesas, que culminavam na detenção de todos os homens que não fossem jovens ou velhos demais para trabalhar a favor do esforço de guerra alemão.

Enquanto Portugal era palco de trocas de prisioneiros de guerra, alguns portugueses desapareciam no sistema de campos de concentração nazis.

Este livro precioso resulta de uma investigação que deu também origem à reportagem homónima publicada em 2014 pelo jornal, vencedora, entre outros, do prémio Melhor Reportagem Multimédia, atribuído nesse ano pelo Observatório do Ciberjornalismo. O objetivo dessa reportagem foi, em primeiro lugar, descobrir se tinham existido portugueses nos campos de concentração e, em segundo, confirmada a sua existência, contar as suas histórias. Este é um trabalho fundamental, que dá a conhecer factos inéditos sobre os portugueses que, nascidos de norte a sul do país, tiveram passagem, muitas vezes fatal, pelos infames campos disseminados pelo nazismo.

Com fotografias do premiado fotojornalista Nelson Garrido.

Patrícia Carvalho é jornalista desde 1997 e trabalha no jornal Público desde 2008. Antes, trabalhou em vários jornais e revistas, como O Comércio do Porto, a Grande Reportagem, a Visão ou a Sábado. O seu primeiro contacto com o jornalismo foi, contudo, com o Jornal de Letras, Artes e Ideias, onde estagiou e com o qual colaborou durante algum tempo. Nascida em 1975, no Porto, mudou-se para Lisboa para se licenciar em Ciências da Comunicação, na Universidade Nova de Lisboa.

No final do curso quis regressar a casa e é a partir do Porto que tem exercido a sua atividade profissional. Este é o seu primeiro livro.